Real Time Web Analytics

28 de set de 2012

Apresentando: Gateira Michele!


Oi, meu nome é Michele, 
tenho 36 anos 
e sou pedagoga/psicopedagoga.

 Hoje tenho 4 gatas, foi o máximo que já tive ao mesmo tempo. Comprei minha primeira gata há uns 10 anos (ela já morreu), eu não sabia nada sobre proteção animal, nem sobre os malefícios do comércio de animais... Mas por causa dela e de outras que vieram acabei me aproximando das ONGs de proteção animal e aprendi muito! Hoje sou protetora e ajudo sempre que posso os animais abandonados...

Na época que eu tive a Kika e Babi, eu era casada, tive alguns problemas com meu ex-marido no início (ele não queria que elas fossem sobre a cama, elas ficavam presas na lavanderia a noite...), mas logo deu tudo certo e elas viviam felizes. Me separei, e claro, as gata ficaram comigo. Depois, chegou a Lola, vi a gatinha em um pet para adoção e me apaixonei.
Como eu estava envolvida com a proteção animal e meu apartamento era grande, frequentemente fazia lar temporário para gatos de um abrigo. Uma dessas vezes, uma gatinha quase morreu de verminose e adivinhem o que aconteceu? Claro, adotei mais uma: a Juju. Mas fazer lar temporário sempre foi muito difícil, eu sempre me apegava aos gatos e se eles não eram adotados e tinham que voltar para o abrigo eu quase morria...

Antes mesmo de adotar a Juju comecei um relacionamento com o Mauro, por sorte ele gosta de gatos (se não gostasse e quisesse ficar comigo teria que aprender a gostar, rs...).

Me mudei para um apartamento menor, agora não posso mais fazer lar temporário para ninguém... Já tentei em casos emergenciais, mas os resultados não foram os melhores para os hóspedes...
Sempre morei em apartamento e com tela (rede de proteção) em todas as janelas, as gatas não saem de casa (exceto para ir ao vet e pet), mesmo assim usam coleira com placa de identificação para uma emergência...
 
Ano passado a Kika morreu, tinha um problema no coração que quando foi descoberto não dava para fazer mais muita coisa, foi muito doloroso. Esse ano adotei a Nina, ela agora está com 8 meses, é o foguete da casa! Destrói e pronta todas, como todo bebe, mas não tem como não amar!
Hoje tenho a Babi (8anos), a Lola (5anos), a Juju (3 anos) e a Nina (8 meses). Eu e o Mauro vivemos com as gatas na maior harmonia, não imagino minha vida sem elas, são minhas maiores companheiras. Sim: companheiras! As pessoas pensam que gatos são ariscos, não são carinhosos, mas esses nunca conviveram com gatos, pois as minhas estão sempre onde estou, não grudadas (claro!), mas ao lado, me acompanhando, me cuidando, pedem carinho, fazem carinho...
Ainda não tenho filhos, não sei se terei, mas com certeza se tiver eles amarão os gatos e os animais desde cedo, nunca abandonarei as gatas por causa disso (e já vi muitos casos: trocam de filhos: gatos por bebes!!!) Se um médico chegar a cogitar, troco de médico na hora! Tenho renite e asma, e se algum médico falar que tenho que me desfazer das gatas, me desfaço do médico!
Se eu pudesse teria mais gatos, o que me impede? Espaço... Acho que o espaço de minha casa não é adequado para mais gatos... A Babi, periodicamente tem algum problema de saúde... Acho que é mais sensível por ter uma “raça”, ela é persa. As outras, as vira-latas nunca têm/tiveram nada! 
Recomendo: adote um vira-latinha, rs...
Gatos usam a caixinha de areia, por isso, não há problema algum com limpeza/cheiro no ambiente. Muitas pessoas até se surpreendem quando me visitam! Além de tomarem banho sozinhas diariamente e serem bem limpas, umas duas vezes por ano levo para tomar banho no pet (especializado em gatos). Assim já fazem um check-up. 
As minhas gatas não dão trabalho algum... Comem somente ração, precisam de vacina anual e quando viajo, contrato uma pet sitter (Cacau) que cuida delas em casa mesmo, assim não me preocupo e elas também não se estressam.
As gatas tem casinhas e caminhas, mas pouco usam, afinal a casa é toda delas, rs... Também têm seus brinquedinhos que adoram: ratinhos, bolinhas, grampo de roupa, molinhas, etc. Tudo vira brinquedo, até um pedacinho de papel ou a folha de uma planta. Falando em plantas é preciso tomar cuidado com plantas tóxicas e não tê-las, pois com a curiosidade dos gatos eles podem “atacá-las” e se intoxicarem.
Clique na imagem para ampliar!
Vou parar por aqui pois acho que escrevi demais, nem sei se lerão tudo isso... Enfim as minhas gatas são meus amores, não troco, não vendo não dôo! Amor a gente não abandona! Só quem tem e ama gatos é que sabe realmente como é bom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário